Os pilares da cozinha contemporânea

Presença de cor, integração e marcenaria funcional são as três características mais adotadas nas cozinhas modernas. A seguir, 7 projetos mostram como utilizar esses conceitos

Por Gabriela Meschini | Adaptação web Tayla Carolina

A cozinha de Fernanda e Idel, um casal com dois filhos adolescentes que adora receber amigos, é sinônimo de praticidade e estilo. Com projeto assinado por Gigi Corenstien, o antigo cômodo fechado e puramente utilitário transformou-se em um ambiente aberto e encantador de 30 m².

“Os moradores não desejavam uma cozinha, mas, sim, um espaço para receber. Isso nos levou a reformular a configuração espacial e a fazer a união com a área social”, explica a arquiteta. A ilha, com armários de MDF (SCA Jd. Europa) e tampo de quartzo cinza (Empresa Artesamarmo), é o principal ponto da integração realizada.

Ainda, por exibir tonalidade neutra, deixa todo o destaque de cor para a parede com o revestimento Chez Moi, da Portobello Shop, ao fundo.

 

A amplitude de uma cozinha integrada e a funcionalidade dos itens expostos: essas foram as soluções adotadas pelo Bloco Arquitetos para um casal de jornalistas que havia se mudado de uma casa para um apartamento e queria manter a qualidade de vida da antiga residência.

Para conquistar ambos os requisitos, a nova cozinha foi incorporada à sala de estar formando um só ambiente, versátil e prático. O ponto alto do projeto é a bancada de silestone, que define um limite entre as áreas funcional e social, sem deixar de conectar os espaços. Acima dela, uma estrutura suspensa de freijó e metalon garante a praticidade com utensílios do dia a dia.

 

Áreas integradas, mas delimitadas: é desta forma que enxergamos o apê projetado pela arquiteta Juliana Carmargo. Em 80 m², a profissional usou e abusou de elementos vazados, décor contemporâneo e combinações de cores – tudo para garantir maior sensação de amplitude.

A solução de destaque é o balcão responsável por dividir sala e cozinha, de design arrojado e feito sob medida em ferro com pintura eletrostática. Nele, figuram livros, louças e utensílios culinários, guardados em repartições abertas, que não comprometem a circulação.

Quanto às cores, o cômodo exibe tonalidades de estilo industrial, como o piso de porcelanato (Mosarte), além de um toque contemporâneo nas cadeiras Clip, de cor Flamingo, do Fernando Jaeger.

 

Para ver essa matéria na íntegra, compre a revista Casa & Construção – Ed. 146