Sanca de gesso ou instalação aparente?

A iluminação é um ponto muito importante do ambiente. Veja qual a diferença de usar sanca de gesso ou instalação aparente

Por Débora Fernandes | Fotos: Divulgação | Adaptação web: Tayla Carolina

Sombras, profundidade e vida – isso tudo é conferido a um ambiente pelo uso da luz. Principal em qualquer projeto de interiores, ela não só muda sensações do décor de acordo com a maneira como incide no espaço como também carrega consigo seu próprio estilo.

Os dois fatores pesam na balança quando a decisão é iluminar a casa com sancas de gesso ou apostar nas tendências, como a instalação elétrica aparente. Para compreender as diferenças entre essas duas modalidades, conversamos com os arquitetos Felipe Luciano e Vanessa Keiko, do Estúdio+FCK, e a arquiteta Barbara Dundes.

 

Qual escolher?

“A iluminação dos cômodos depende da função, cor das paredes, teto, piso, iluminação natural e do efeito que precisamos criar: se é uma iluminação funcional, se é indireta, direta ou decorativa”, explica Bárbara. Em primeiro lugar, deve-se lembrar de que a instalação aparente é sempre de iluminação direta.

Por isso, de acordo com o Estúdio+FCK, ela é recomendada para ambientes de trabalho e leitura, como o escritório e a sala de estar, resultando em um local mais claro que inspira a atenção. De outro lado, a luz em sanca de gesso pode aparecer de diversas formas, possibilitando diversas interações e sensações de iluminação – adaptando-se bem a qualquer ambiente da casa.

Além disso, o recurso pode ser visualmente mais simples e só requer um bom acabamento por parte do gesseiro. Já a instalação aparente precisa de um bom planejamento dos pontos de interruptores, tomadas e terminações para alcançar um resultado estético harmônico. Também é preciso haver a preocupação de separar a fiação de transporte de dados (telefone e internet) da fiação elétrica, que não devem ficar juntas.

O estilo dominante da casa faz toda a diferença: a sanca está presente em ambientes dos mais clássicos até os moderninhos, com recortes mais ousados. Já a instalação aparente tem uma identidade visual mais ligada aos elementos industriais e urbanos, como cimento e tijolinhos.

Sancas de gesso

A sanca de gesso nada mais é que um rebaixo do forro, de 10 a 15 centímetros, considerado um acabamento entre o teto e as paredes, com grande poder decorativo. “Pode ter vários tipos de acabamentos de luminárias, como plafon, embutida, spots, trilhos, pendentes etc., são inúmeras possibilidades e a ligação é simples, seguindo sempre o manual de montagem da luminária, a voltagem correta e o tipo de lâmpada”, explicam os arquitetos do Estúdio FCK.

Como é feita com esse rebaixamento, os arquitetos ainda lembram que não é tão recomendada para ambientes pequenos, pois pode resultar na “sensação de aperto”. Ela também se apresenta de três maneiras diferentes, de acordo com a existência e posição dos recortes no gesso.

Aberta – deixa um vão no centro do ambiente. Pode conter iluminação indireta, com luminárias embutidas, de efeito mais homogêneo.

Fechada – não oferece abertura nenhuma. Por isso, permite apenas iluminação direta, com spots ou luminárias embutidas na moldura. Geralmente apresenta menos detalhes, com aparência mais clean.

Invertida – tem a mesma proposta da sanca aberta, porém com vão voltado para as paredes. Por isso, destaca mais esse segundo elemento e é usada de maneira cênica, principalmente para enfatizar aconchego.

Quanto custa?

Cada casa apresentará uma necessidade diferente, de acordo com Felipe Luciano. A execução da sanca é cobrada, geralmente, por metro linear executado – em torno de R$ 100 a R$ 150. Já a instalação de iluminação aparente depende de avaliação do serviço e do número de luminárias.

A estimativa é que cada ponto de luminária fique em torno de R$ 70. A instalação aparente não requer custos com gesseiro e gesso, mas é considerada um processo de alto detalhamento e custo com materiais como conduítes. Por outro lado, dispensa o quebra-quebra, com fácil acesso à sua infraestrutura quando manutenções forem necessárias.